Perfil

15

Thiago Pereira é um dos maiores nomes da natação brasileira na atualidade. Começou na natação aos dois anos, quando sua mãe, Rose, decidiu colocá-lo em uma escolinha depois que caiu em uma piscina e quase se afogou. A partir deste momento, o menino não quis mais se afastar da água.

A carreira vitoriosa começou aos 12 anos, com a conquista da medalha de bronze em uma competição na cidade de Volta Redonda (RJ). Na mesma época, também conseguiu sua primeira vitória em campeonatos federados, em uma competição em Valença, região de Volta Redonda, defendendo o Clube de Funcionários da CSN.

Após muitas conquistas entre os 13 e 16 anos, no final de 2001, Thiago recebeu a proposta para integrar a equipe do Minas Tênis Clube, sob o comando do técnico Fernando Vanzella. A mudança ajudou o jovem a se consolidar entre os principais nadadores do Brasil e do mundo.

Em 2009, logo após disputar as Olímpiadas de Pequim (China), o nadador decidiu se mudar para os Estados Unidos, onde treinou com David Salo, head coach da Universidade do Sul da Califórnia desde 1990 e técnico de alguns campeões olímpicos norte-americanos. O treinamento junto com nadadores de ponta fazia com que o rendimento de Thiago aumentasse exponencialmente.

Em abril de 2010, passou a defender as cores do Sport Club Corinthians Paulista e no final do ano conquistou o título de Rei da Copa do Mundo de Piscina Curta, ao acumular 22 medalhas (19 de ouro e 3 pratas) durante todas as etapas da competição.

Aos 25 anos, tornou-se o maior campeão brasileiro em Jogos Pan-Americanos. Em Guadalajara, no México, o atleta ganhou seis ouros, uma prata e um bronze. Somando os seis ouros, duas pratas e dois bronzes dos Jogos de Santo Domingo e do Rio de Janeiro, Thiago acumulou 18 medalhas na competição olímpica continental, uma a menos que seu ídolo Gustavo Borges.

Em agosto de 2011, o especialista em medley aceitou a proposta do campeão olímpico Cesar Cielo para integrar ao Projeto Rumo ao Ouro – 2016 (P.R.O 16), sob o comando de Albertinho Silva, técnico da seleção brasileira.

Em julho de 2012, Thiago Pereira realizou seu grande sonho: conquistar uma medalha olímpica. Nos 400m medley, o brasileiro surpreendeu, batendo na frente do fenômeno das piscinas, Michael Phelps (EUA), e faturando a prata com o tempo de 4min08s86, igualando seu próprio recorde sul-americano. O ouro foi para o norte-americano Ryan Lochte (4m05s18) e o bronze para o japonês Kosuke Hagino (4m08s94). Ainda no parque aquático da capital inglesa, em uma prova disputadíssima, o nadador fez o seu melhor nos 200m medley (1min56s75) e terminou em 4° lugar em sua prova favorita. O atleta fluminense ficou atrás dos norte-americanos Michael Phelps (1min54s27) e Ryan Lochte (1min54s90), ouro e prata respectivamente, e do húngaro Laszlo Cseh (1min56s22), bronze, seus principais rivais nos últimos três ciclos olímpicos.

Logo no início de 2013, o atleta se casou com a advogada Gabi Pauletti, em cerimônia que reuniu ídolos da natação como Gustavo Borges e Fernando Scherer.

Em 2013, Thiago Pereira deixou o Corinthians após mais de dois anos de muito sucesso. Além disso, o atleta saiu do Projeto Rumo ao Ouro – 2016 (P.R.O 16). Mas não demorou para arrumar um novo clube: o SESI-SP.

Em agosto, o nadador conquistou duas medalhas de bronze no Mundial de Desportos Aquáticos, em Barcelona. Os pódios foram nos 200 m medley e nos 400 m medley.

Thiago Pereira é patrocinado pelos Correios, Speedo International Ltd. e P&G. O nadador defende o Minas Tênis Clube, tem 30 anos e é natural de Volta Redonda (RJ). É dono de 23 medalhas pan-americanas, um recorde histórico. Em Londres-2012, o atleta conquistou a medalha de prata na prova dos 400 m medley. É também o maior medalhista internacional do Brasil, levando em conta os eventos de primeira linha como mundiais,  olimpíadas e pans.

O medalhista olímpico também é vice-presidente da Comissão de Atletas da FINA – Federação Internacional de Natação – e integrante das Comissões de Atletas do COB – Comitê Olímpico Brasileiro – e da Odepa – Organização Desportiva Pan-Americana.

 

Nome: Thiago Machado Vilela Pereira
Data de nascimento: 26/01/1986
Cidade onde nasceu: Volta Redonda (RJ)
Filiação: Rose Vilela e Maurício Pereira
Altura: 1,85m
Peso: 84k
Pé: 45
Técnico: Dave Salo
Patrocinadores: Arena, Correios e Minas Tênis Clube
Especialidade: Medley
Fora das piscinas: Churrasco com os amigos, jantar com a esposa
Comida preferida: Risoto
Gosto de escutar: Hip Hop, U2, Oasis
Livro de cabeceira: Training Camp: What the Best Do Better Than Everyone Else, de Jon Gordon
Ídolos: Rogério Romero e Gustavo Borges
Por que a natação: Porque é um esporte completo e muito competitivo, como eu
O que é ser ídolo: Dar bons exemplos, ter conquistas importantes e ser uma pessoa positiva e simples

 

    Nome: Thiago Machado Vilela Pereira
    Data de nascimento: 26/01/1986
    Cidade onde nasceu: Volta Redonda (RJ)
    Filiação: Rose Vilela e Maurício Pereira
    Altura: 1,85m
    Peso: 84k
    Pé: 45
    Clube Atual: SESI-SP
    Técnico: Alberto Silva
    Patrocinadores: Speedo, Correios e SESI-SP
    Especialidade: Medley
    Fora das piscinas: Churrasco com os amigos, jantar com a esposa
    Comida preferida: Risoto
    Gosto de escutar: Hip Hop, U2, Oasis
    Livro de cabeceira: Training Camp: What the Best Do Better Than Everyone Else, de Jon Gordon
    Ídolos: Rogério Romero e Gustavo Borges
    Por que a natação: Porque é um esporte completo e muito competitivo, como eu
    O que é ser ídolo: Dar bons exemplos, ter conquistas importantes e ser uma pessoa positiva e simples

     

     

    1998
    Sua primeira medalha foi um bronze em uma competição na cidade de Volta Redonda (RJ). Na mesma época, obteve a primeira vitória em campeonatos federados representando o Clube dos Funcionários da CSN.
     2001 Integra a equipe do Minas Tênis Clube, com o técnico Fernando Vanzela.
    2003
    Nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo (Republica Dominicana) foi medalha de prata nos 200 m medley e bronze nos 400 m medley.
     2004 No Troféu Brasil, bateu o recorde sul-americano dos 400 m medley, que já durava 20 anos, com 4min17s62. Quinto colocado nos 200 m medley nas Olimpíadas de Atenas (Grécia), com o tempo de 2min00s11; Eleito pelo melhor nadador de 2004 pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB).
    2007
    Quebra do recorde mundial dos 200m medley (1min53s14), na Copa do Mundo de Piscina Curta, em Berlim (Alemanha); Conquistou oito medalhas nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro; Eleito o melhor atleta brasileiro do ano pelo COB.
     2008 Quarto lugar nos 200 m medley nas Olimpíadas de Pequim (China), com o tempo de 1min58s14, atrás dos rivais norte-americanos Michael Phelps e Ryan Lochte, e do húngaro Laszlo Cseh. Também terminou em oitavo lugar nos 400 m medley, com a marca de 4min11s74.
    2010
    Thiago é o primeiro brasileiro a chegar ao topo da Copa do Mundo de Natação em Piscina Curta e o nadador que mais venceu provas em uma mesma temporada em toda a história do circuito, que existe desde 1979 (Total 22 medalhas). Em abril, torna-se nadador do Sport Club Corinthians Paulista.
     2011 Conquista oito medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México) e torna-se o maior campeão brasileiro na história da competição (18 medalhas – 12 ouros, 3 pratas e 3 bronzes).
    2012
    Nos Jogos Olímpicos de Londres, Thiago Pereira surpreende e ganha medalha de prata nos 400m medley, superando o campeão olímpico Michael Phelps. O nadador ainda encerrou sua terceira Olimpíada com um 4° lugar nos 200m medley
    2013
    Em fevereiro de 2013, Thiago Pereira se casou com a advogada Gabriela Pauletti em cerimônia em São Paulo
    2013
    Thiago Pereira conquista duas medalhas inéditas em mundiais de piscina longa. No Palau Sant Jordi, em Barcelona, o nadador ficou com o bronze nos 200 m medley e nos 400 m medley
    2014 Thiago Pereira voltou a treinar em Los Angeles, nos Estados Unidos. O atleta é comandado por Dave Salo e Jon Urbanchek, ícones em treinamento de natação no mundo. Thiago venceu três provas nos Jogos Sul-americanos do Chile, sendo elas: 400 m medley (4min23s15), 200 m medley (2min00s09) e o revezamento 4×200 m livre (7min25s35).

    Neste mesmo ano, disputou em São Paulo o Troféu Maria Lenk, em que obteve seu 30º título individual na competição e uma sequência de 12 anos de domínio nos 400 medley (4min15s45), ele venceu ainda os 100 m borboleta (52s37) e os 200 m medley (1min57s98), além de ter conquistado a prata nos 100 m costas.

    Em maio ele conquistou o ouro na prova dos 200 m medley (1min58s44), na etapa de Charlotte (EUA) do Campeonato Americano de Natação.No Aberto da França em julho, Thiago conquistou um ouro (200 m medley) e uma prata (400 m medley).

    2015 Em 2015, o atleta se tornou o maior medalhista pan-americano da história, ultrapassando o ginasta cubano Erick Lopez. No total, Thiago possui 23 medalhas no Pan, sendo que 15 são de ouro. Em Toronto,  ele  ganhou o ouro no revezamento 4×200 m livre, mais duas medalhas de ouro no revezamento do Brasil, por participar das eliminatórias das provas do 4x100m livre e do 4×100 m medley. Ele conquistou a prata nos 200 m medley e um bronze nos 200 m peito.

    No Campeonato Mundial de Kazan 2015  conquistou sua terceira medalha em mundiais de longa ficando com a prata nos 200m medley (1min56s65). No Troféu Maria Lenk ele terminou sua participação com dois ouros (revezamento 4×100 m medley  e 400 m medley), três pratas (100 m costas, revezamento 4×200 m livre e revezam 4×100 m livre ) e um bronze ( 100 m borboleta).

    No Brasileiro Sênior / Troféu Daltely Guimarães de 2015,  primeira seletiva olímpica, Thiago nadou abaixo do índice exigido para a prova dos 200 m medley (2min00s28), e ficou perto de sua classificação para as Olimpíadas Rio 2016 (fez a marca de 1min58s32).

    2016 Em 2016, Thiago nadou a segunda e última seletiva olímpica brasileira, o Troféu Maria Lenk realizado no Parque Aquático da Barra. Na competição ele confirmou a participação em sua quarta olimpíada (Atenas 2004, Pequim 2008, Londres 2012 e agora Rio 2016). O nadador conquistou a vaga nos 200m medley masculino, nadando a prova em 1min57s91, e conquistando a medalha de ouro, empatado com Henrique Rodrigues. Na competição ele conquistou também a prata nos 100 m borboleta e o ouro nos 200 m peito.